As Vozes do Oceano

A situação dos golfinhos hoje no mundo.

Fonte: internet

Olá pessoal.

Este post é uma constatação pessoal que eu quero dividir com todos vocês que acessam o blog, e logo vocês entenderão o porquê.

Bom, como a maioria de vocês já sabem, sou um apaixonado por golfinhos. Cresci ouvindo as histórias e causos relacionados aos botos (golfinhos) da cidade onde nasci, Torres. Essa paixão foi ativada ainda mais através do seriado televisivo, Flipper.

Já quando maior, trabalhei e convivi com os golfinhos no México, onde morei alguns anos.

Foi durante esse período que pude constatar e pesquisar muitas das coisas que as pessoas falavam a respeito dos golfinhos, corroborando algumas e invalidando outras.

O contato diário que tive com os golfinhos, foi a motivação principal para escrever sobre eles.

Foto: Luiz Felipe Zanette

Assim que regressei do México, voltei cheio de motivação e força para levar adiante esta tarefa.

É a partir deste ponto que vocês começarão a entender a razão deste post.

Já de volta ao Brasil, tomei um balde de água fria na cabeça após o outro. Primeiro, como já postei antes, foi da universidade na qual eu estudava que não teve abertura e conhecimento o suficiente para se interessar por esse trabalho. Depois, foi das prefeituras de ambas as cidades que têm os golfinhos como vizinhos. Já ia quase me esquecendo, também dos biólogos que se propõem a estudar os golfinhos aqui no sul do Brasil.

Aos poucos fui me dando conta do que estava acontecendo.

Então percebi que o Brasil vem logo atrás dos Eua no quesito padronização, ou seja, o Brasil segue fortemente o padrão norte americano de vida, o que explica porque as pessoas aqui dão tanto valor ao teu status social e acadêmico.

Depois entendi que demorará muito para o mundo acadêmico aceitar que não são tão inteligentes como pensam e para não restarem dúvidas a esse respeito é bom salientar que apesar de tantos conhecimentos que os cursos acadêmicos prestam a nossa sociedade continua destruindo o planeta e a si mesma a ritmos alarmantes e apesar de sabermos disso, pouco ou nada é feito para resolver essa situação.

E quanto ao governo? Será que eles nos ajudam?

É claro que não, os governos querem o crescimento a todo custo, incluindo o brasileiro, onde a nossa atual presidente vetou a lei para diminuir o desmatamento da Amazônia. Querem exemplo melhor?

Mas e os biólogos, eles deveriam entender sobre os golfinhos. Hum…

Deveriam, mas não entendem completamente pois devido ao seu forte treinamento acadêmico, eles não conseguem enxergar além do que aprenderem na universidade e nos cursos de pós graduação, mestrado e doutorado que fazem. São poucos os que se arriscam a irem além do que lhes foi ensinado.

Tem também os espiritualistas de todas as partes e credos que afirmam que os golfinhos são seres da sexta dimensão e essas coisas difíceis de serem constatadas e que prestam um verdadeiro culto aos nossos irmãos aquáticos, mas que em sua maioria jamais nadaram e tampouco conviveram com os golfinhos.

É aqui onde eu queria chegar e espero que vocês me entendam.

Segundo a minha experiência, e como me ensinaram meus pais,  nem tanto ao céu e nem tanto à terra.

Os golfinhos sim são seres evoluídos, eu diria que até mais evoluídos que nós humanos em certos aspectos (apesar de não gostar de colocar as coisas nesses parâmetros hierárquicos) pois não terminam com os recursos naturais do seu meio e nem se exterminam em guerras e genocídeos.

Como vocês sabem também, sob os mais diversos pretextos golfinhos são mantidos em cativeiro e outros tantos assassinados pela nossa tão “inteligente” e “importante” espécie.

Só que o que todas essas pessoas não estão levando em consideração ou não sabem é que os golfinhos são PESSOAS, assim como eu ou você. Pessoas? Sim, pessoas como eu ou você meu amigo .

Eles são tão auto-conscientes quanto a gente, eu ousaria dizer que eles são mais auto-conscientes do que a maioria de nós, visto que não precisam se preocupar com a aparência, nem em ir para a escola, nem onde morar e muito menos em ganhar dinheiro para sobreviver. Desta maneira eles possuem muito mais tempo do que nós para pensarem com os seus cérebros invejáveis e para se relacionarem com a sua comunicação fantástica, além é claro de seu sonar que permite investigarem e curarem uns aos outros.

Seguramente eles podem te olhar nos olhos, como realmente o fazem e pensar coisas como: “esses primatas são estranhos”. Ou então, “qual é o propósito destes seres no planeta?”. Talvez, “tenho coisas mais importantes para fazer do que ficar interagindo com esses bárbaros”. Pegaram o ponto?

Eles têm a capacidade de pensarem a respeito de seu passado, assim como de seu futuro e ainda por cima comunicar e dialogar com outros de sua espécie sobre isso.

E para quem não entendeu ainda, afirmo: os golfinhos têm um espírito assim como nós humanos! – é claro que todos os animais possuem alma, mas como têm alguns religiosos de plantão que ainda não conseguem entender isso é bom explicar.

Isso não é demais???

É claro que sim!

Compartilhamos o planeta com seres fantásticos que estão aqui antes do que nós. Possivelmente eles saibam mais a respeito do planeta, afinal de contas assim como os nossos índios fazem até hoje, eles possuem uma cultura completamente oral.

Mas, onde quero chegar com isso tudo???

Se eu pudesse e fosse acreditado simplesmente pela minha experiência, diria aos quatro ventos que os golfinhos são os nossos irmãos oceânicos. Diria que eles são tão inteligentes e tão nobres quanto o mais nobre dos humanos. Diria também que eles merecem todo o nosso respeito. E diria mais, diria que se não ouvirmos eles e procurarmos aprender com eles, a nossa espécie seguirá em risco de extinção.

Eles sobreviverão outra vez, como já sobreviveram a outros cataclismas como a inundação universal (é claro, eles vivem na água) da qual todos povos contam.

Mas e qual é a situação dos golfinhos hoje no mundo?

Fonte: internet

A situação deles é que apesar da falta de entendimento humano sobre eles, eles são uma espécie harmoniosa, próspera e feliz, embelezando e enriquecendo esse planetinha azul e majoritariamente aquático no qual vivemos.

Salvemos os golfinhos para que os humanos sejam salvos também.

E quanto ao meu trabalho de escrever sobre eles?

Este continua de vento em pompa, pois apesar dos contra-tempos, o entendimento que os golfinhos me proporcionaram faz com que esse trabalho seja mais importante do que qualquer outra coisa que esteja acontecendo em minha vida ou no mundo.

Aloha!

Anúncios

Uma resposta

  1. Larissa Hayahsi

    Aloha! bela jornada, e agradeço compartilhar com o mundo.
    Com carinho
    Larissa

    Curtir

    22 de junho de 2012 às 9:01

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s